Ecoturismo, “ma non troppo”


Quando se fala em ecoturismo a Costa Rica é sempre referência, entretanto o modelo massificado que vem sendo posto em prática ultimamente neste país centro americano tem sido alvo de críticas.

Turista com tartarugas. Foto divulgação Sitraminae
Turista com tartarugas. Foto divulgação Sitraminae – Sindicato de Trabajadores del Ministerio de Ambiente y Energía de Costa Rica

No primeiro final de semana deste mês de setembro o ecoturismo da Costa Rica foi destaque na imprensa mundial. O motivo foi a invasão de turistas à praia do Refúgio da Vida Silvestre de Ostional. Centenas de pessoas, sem nenhum controle, chegaram à praia no momento em que acontecia a “arribada”, a chegada das tartarugas marinhas para a desova. Estas pessoas se posicionaram no caminho entre as tartarugas e área de nidificação,  além de tocá-las, dispararem flash, colocarem crianças em cima delas, enfim atrapalharem o momento da reprodução.  A perturbação foi tamanha que muitas tartarugas retornaram ao mar sem fazer a postura.

Foto divulgação Sitraminae
Foto divulgação Sitraminae

O Refúgio de Ostional era até então considerado um modelo de manejo, lá inclusive se permite que as comunidades coletem parte dos ovos em troca da manutenção do refúgio.

Este fato, aparentemente isolado, pode se repetir em qualquer lugar do planeta, especialmente naqueles em que a atividade turística ocorre sem nenhuma regulação ou controle.

Foto divulgação Sitraminae
Foto divulgação Sitraminae

Não é raro vermos ser vendido como ecoturismo passeios massificados, macdonaldizados e disneylandizados, no qual a comunidade não tem nenhuma participação e a educação ambiental, quando há, é um pastiche teatral.

Infelizmente a subversão do ecoturismo é até mesmo estimulada por autoridades que, sem nenhum conhecimento, aprovam e estimulam a implantação de equipamentos sem que haja nenhum dimensionamento da capacidade de carga – coisa que naturalmente estas “autoridades” nunca ouviram falar.

O importante é sair na foto - Foto divulgação Sitraminae
O importante é sair na foto – Foto divulgação Sitraminae

Sendo simplista, pois o ecoturismo é por demais complexo, não se pode chamar de ecoturismo qualquer atividade que não garanta a preservação do patrimônio natural e nem traga benefícios à população local.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s